Atitudes de um líder


Após várias leituras, algumas vivências e muitas observações, eu comecei a me questionar sobre a relação da abordagem do MIT quanto a Liderança na Era de Incertezas, os conceitos de Liderança exemplificados pelo livro o Monge e o Executivo e a relação entre Liderança x Sustentabilidade x Responsabilidade. Ddestes questionamentos, surgiu à necessidade de escrever um pequeno artigo no qual eu pudesse não somente organizar as minhas conclusões, mas também compartilhá-las.

Segundo o MIT um líder em seu ambiente de negócio precisa constantemente percorrer quatro palavras chaves: “dar sentido” ao contexto, “definir uma visão de futuro”, “relacionar-se” e prover a mudança com “inovação”. [1] Contudo, somado a estas quatro palavras chaves, devemos somar outros quatro aspectos bem conhecidos daqueles que pela liderança buscam: “servidão”, “humildade”, “inteligência” e “abnegação”.  Buscando entender como cada uma destas palavras chaves impacta no nosso cotidiano, seja aplicando-as ou observado naqueles que nos lideram, certamente, estaremos desenvolvendo nossa capacidade de liderar e ser liderado.

1)       Como é possível um líder dar sentindo a algo sem que entenda as pessoas com que se relaciona, sem que em algum momento tenha a capacidade de servir a elas?

Um dos desafios das lideranças é ser um facilitador para que as mentes e corações de seus colaboradores possam estar sempre abertos e livres para criar, inovar, produzir e gerar melhores resultados. “Des-envolver” pessoas é ajudá-las a se livrarem dos obstáculos que as envolvem, é retirar o invólucro que impedem seu processo de amadurecimento e de aprendizagem. Desenvolver pessoas é acreditar no potencial.[2] Contudo, para que o líder consiga reconhecer cada membro de sua equipe como um “cérebro de conhecimento” ele deve reconhecer a capacidade e o potencial das pessoas pra levá-las a perceber suas qualidades .[3]

O papel do líder não é impor regras e dar ordens, em vez disso, o papel do líder é servir. [4] Servir aos seus liderados de forma que consiga desenvolve-los.

Ao alinhar valores pessoais com os princípios e valores corretos, geramos um maior equilíbrio entre líderes e liderados, uma base firme para todas as atividades. Atitudes que seguem princípios com respeito, cuidado, responsabilidade, solidariedade, segurança, confiança tolerância e competência fazem com que as pessoas se sintam importantes e reconhecidas.[5]

Não deve-se deixar que um cargo que requer liderança, imponha o poder inquisitivo que intimida e quebra o relacionamento, pois desta forma por mais que se busque, nenhuma atividade fará sentindo para os liderados.

2)      Qual é a importância da humildade para um líder ao relacionar-se?

Buscar a humildade em todas as relações é um dos passos que um líder deve buscar dar em seu eterno desenvolvimento.

Saber ouvir, por exemplo, é um aspecto de humildade que poucos líderes possuem. Saber ouvir não é só ficar plantado na frente de uma pessoa escutando o que ela está falando maquinando ocultamente uma resposta, uma contra-argumentação para ignorar a idéia que lhe foi exposta. Saber ouvir é, além de escutar, pensar, meditar no que te falam, avaliar e dar-lhes o crédito de uma excelente idéia quando isso ocorre. Saber ouvir é quando uma pessoa tem uma idéia totalmente equivocada sobre determinado assunto, ouví-la até que termine, por mais estranho que isso possa parecer, e tentar mostrá-la, sem ser arrogante, o que ela está errando e tentar fazê-la entender o seu erro. [6]

Liderança não é um esporte individual,  e na nossa era de relacionamentos em rede a capacidade de se conectar e construir relações de confiança são competências-chave.[7] Porém, quando reconhecemos as nossas limitações e buscamos ajuda nos nossos relacionamentos, estaremos nos relacionando e não competindo com os que na nossa volta estão.

Humildade: Virtude pela qual reconhecemos nossas limitações.[8]  Qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas.[9]

Outro aspecto muito importante de um líder é a sua inteligência e é ela que o ajudará a fornecer a motivação necessária para que as pessoas encarem a sua visão com significado e importância.

As visões são importantes porque fornecem a motivação necessária para que as pessoas não desistam do ponto de vista atual e da forma de trabalhar, a fim de mudar.[10] Porém para manter a motivação, manter a atenção focada nas ações do dia a dia, o líder deve renovar-se e inovar a cada situação, deve ter clareza e entendimento de como funciona o papel que desempenha.

3)      Quais são as inteligências que o líder deve desenvolver para que consiga manter seus liderados alinhados com a visão de futuro?

Segundo Charlotte Roberts, a capacidade de pensar em um líder, é uma competência configurada pelas inteligências múltiplas:[11]

Inteligência Fiscal – Capacidade de compreender a gir de acordo com os fluxos, os procedimentos financeiro e os processos.

Inteligência Social – A qualiade dos relacionamentos que impacta diretamente na prodututividade.

Inteligência Noética – Percebe as mudanças no ambiente para construir a compreensão compartilhada dos dados que surgem, criar conhecimento em toda a organização para ampliar continuamente o QI coletivo.

Inteligência Ambiental – Verifica os modos pelos quais o ambiente físico e as prática gerenciais dão suporte ao comportamento seguro.

Inteligência Espiritual – Ter espaço, liberdado e segurança para trazer o nosso ser por completo para o trabalho.

Inteligência Emocional – Focalizada no sentimento emocional, identifica as mensagens que estão por trás das comunicações e objetiva criar relacionamentos confiáveis.

Diante de todas as Inteligências que devemos desenvolver, a Inteligência Emocional me parece ser a mais desafiadora, isso por que ela exige que antes de conhecer e identificar as mensagens emitidas por outras pessoas, devemos conhecer a nós mesmo.

Autoconhecimento, autocontrole, automotivação, empatia e sociabilidade são aspectos que o líder deve buscar desenvolver para que consiga, através de suas ações, motivar seus liderados.  E se a motivação é a essência da liderança, então os líderes precisam compreender o que os motivam e o que motiva as pessoas a darem o melhor de si.

Em resumo, ser inteligente emocionalmente, é saber interpretar, antes de qualquer coisa, o que se passa com os seus próprios sentimentos. Conhecendo os seus sentimentos, o líder estará preparado para renunciar aos seus desejos e vontades quando precisar visar o bem comum.

4)     Por que abnegar para inovar?

Os quatro capacidades de “dar sentindo”, “definir uma visão de futuro”, “relacionar-se” e “inovar”são complementares. Sem inovar, visões podem permanecer como sonhos que nunca se realizarão. Inovar sem noção clara da situação atual e onde você quer ir pode resultar em caos. As pessoas querem saber o que estão fazendo, com uma leitura precisa da realidade, não uma que esteja desatualizada ou que se baseie em ilusões. Elas também querem saber que estão trabalhando para algo que é importante. Finalmente, enquanto visões e novas estruturas podem resultar em grandes atividades, sem uma base de pessoas que estão empenhadas em trabalhar juntas, na mesma direção, qualquer sucesso pode ser de curta duração. Ao envolverem-se nessas atividades os líderes ao longo tempo começam a desenvolver a sua forma distinta de fazer as coisas acontecerem. Através de uma variedade experiências os líderes podem desenvolver as suas capacidades, desenvolver a capacidade de liderança em uma organização, e criar uma melhor compreensão de seus próprios valores e habilidades. [12]

Uma vez que um líder defina a sua maneira de trabalhar, seus valores e habilidades, ele deve se preparar para os momentos de abnegação. Renunciar muitas vezes seus próprios interesses. O líder tem que trabalhar em prol de um grupo ou sociedade ou até mesmo da humanidade, não deve estar focado egoisticamente nos seus próprios interesses, deve estar sempre visando o bem comum.

Bem comum: É Aquilo que propicia satisfação coletiva, conquista social que beneficia todos.

Se o líder, não for capaz de ouvir os outros, for centralizador, inacessível, gerador de trabalho inútil para o liderado e resistente a mudanças, jamais estará pronto para inovar. Os líderes atuais estão precisando inovar a cada dia e para inovar abnegar as certezas concretas ou garantir que pelo menos sejam entendidas é uma de suas tarefas.

De forma geral, aplicar no cotidiano estes oito aspectos (“dar sentido”, “definir uma visão de futuro”, “relacionar-se”, “inovação”, “servidão”, “humildade”, “inteligência” e “abnegação”) não é tarefa fácil e exige bem mais do que uma simples reflexão ou leitura.

Contudo, se todos os gestores, gerentes e chefes buscassem trabalhar esses aspectos em suas atividades e preparassem os seus subordinados para um desenvolvimento que contemplassem estas atitudes, teríamos não somente uma cultura de liderança mais disseminada, mas teríamos também profissionais mais preparados para assumirem as organizações que trabalham.

Enquanto não encontramos os verdadeiros líderes que nos desenvolvam e nos engrandeçam, temos que buscar as atitudes de líderes que as pessoas revelam e procurar valorizá-las, mas para isto precisamos conhecer quais são estas atitudes!


[1] Leadership in an Age of Uncertainty – MIT Leadership Center
[2] Mandar é fácil…difícil é liderar – O desafio do comando na nova economia – Jorge Lessa
[3] Liderança e Sustentabilidade – Dilemas, Desafio e Propósitos. Guia Prático e conceitual – Maiza Neville e Regina C. Drumond
[4] O monge e o executivo. Uma história sobre a essência da liderança – JAMES C. HUNTER
[5] Liderança e Sustentabilidade – Dilemas, Desafio e Propósitos. Guia Prático e conceitual – Maiza Neville e Regina C. Drumond [6] Liderar pelo exemplo – Ramon Silva
[7] Leadership in an Age of Uncertainty – MIT Leadership Center
[8] Dicionário da Língua Portuguesa – Michaelis
[9] Artigo Humildade – Wikipédia
[10] Leadership in an Age of Uncertainty – MIT Leadership Center [11] Liderança e Sustentabilidade – Dilemas, Desafio e Propósitos. Guia Prático e conceitual – Maiza Neville e Regina C. Drumond
 [12] Leadership in an Age of Uncertainty – MIT Leadership Center
Advertisements

2 pensamentos sobre “Atitudes de um líder

  1. Mais uma vez um ótimo post, Ana!
    Infelizmente, estes ótimos conceitos são distorcidos completamente dentro dos ambientes organizacionais no Brasil.
    Ser líder, no Brasil, ainda é encarado como ter controle, estar no poder, “mandar”.
    Cheguei a receber “mentorings” onde me “ensinavam” que eu não tinha que fazer as coisas, mas que tinha que pôr os outros para trabalhar para mim. Obviamente não assumi essa postura (e por isso talvez não tenha tido mais “sucessso” profissional), porque acredito que um chefe de verdade sabe trabalhar COM ou outros – nem ele para os outros, nem os outros para ele.
    Falsos líderes infestam as organizações hoje. Costumo chamá-los de gerentóides. Chegam a cargos de “liderança” através da troca de favores com gerentóides de nível superior, que têm verdadeiro medo de gente competente porque os vêem como ameaças.
    Os gerentóides pensam, sim, somente em si mesmos. E a última coisa que querem é inovação, porque é muito delicado o equilíbrio que construíram com base em suas máscaras e acordos que não podem ver a luz do dia. Qualquer mudança configura uma ameaça.
    Chefiotas e gerentóides não querem desenvolver ninguém “abaixo deles”, porque isso pode comprometer sua posição de poder. Filtram e desvalorizam os competentes, e trazem para perto os obedientes, que precisam assumir essa postura por saberem que seu ponto forte não é a capacidade produtiva nem criativa.
    Humildade não se encaixa nesse contexto, onde há uma verdadeira veneração pelo poderoso, e o medo de quem tem poder funciona como base para sua continuidade. Para impor o respeito pelo medo, o falso líder não pode ser humilde. Precisa ser arrogante, agressivo e por vezes, violento. Um conceito bastante selvagem, mas ainda muito praticado.
    Estamos a anos-luz destes conceitos. Temos uma longa jornada pela frente. Porém posts como o seu, e comentários como esse são essenciais para que as pessoas comecem a perceber que precisamos sair, urgentemente, desse estado arcaico de má gestão.

    • Palma, desde a primeira vez que li esta expressão gerentóide (do tweet da fantástica fábrica de gerentóides) venho classificando (em pensamento) os gerentes que tenho contato como gerentóides ou não. Eu gostei muito desta expressão, por que me parece ficar atrelada a uma pessoa que está totalmente robotizada naquilo que faz, descartando todos este conceitos que busco conhecer e que relatei no post. Acredito que acabo me preocupando em como não ser uma gerentóide daqui a alguns anos apesar de ser a “escola” que temos atualmente …e consequentemente fico lendo e relendo estes conceitos e estas visões.

      Acredito muito que “comentários como esse são essenciais para que as pessoas comecem a perceber que precisamos sair, urgentemente, desse estado arcaico de má gestão” pois muitos de nós não nasceram líderes, mas em um determinado ponto, começaram a ficar um pouco mais esclarecidos a respeito destas questões de liderança e desenvolvimento e como trabalhar efetivamente em equipe, passando assim a ver que: 1 – se tornar o rei supremo detentor do conhecimento é fria. 2 – Por ter este olhar mais atencioso nestas questões estamos nos sentindo desconfortáveis com os padrões que encontramos. 3 – Alguma coisa precisa ser feita. 4- Apesar do trabalho de formiguinha, quanto mais falarmos sobre isso, quanto mais pudermos compartilhar estaremos contribuindo para aquilo que queremos.

      Sinto, por não ter mais comentários como o teu em post como este, sinto por ver que as universidades estão formando apenas profissionais que serão pecinhas nas muitas empresas de linha produção que tem por este país, sinto por saber que mesmo na linha evolutiva das especializações ainda há muito deste conceito “você tem que saber mandar e saber o que vai ganhar, nada mais”…. Sinto também por não ter mais pessoas a minha volta compartilhando estes sentimentos… Mas fico feliz de ver que aos poucos, na medida que falo destes sentimentos, estou encontrando pessoas que os enriquecem compartilhando suas experiências e vivências…. E nesta frase tem uma palavra que eu gosto muito que é ‘compartilhar’… Quando compartilhamos algo, tanto ensinamos quanto aprendemos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s